Mudando a vida de um iniciante em ABAP em 6 passos

Ok, ok, muita pretensão achar que mudarei a sua vida, mas como também sou uma “SAP iniciante”, recebi algumas dicas, observei alguns pontos e gostariade compartilhá-los com vocês, pois podem não mudar a vida de um ABAP, mas certamente ajudarão muito aos que estão começando sua carreira agora!

Pergunte: É comum sentirmos receio em perguntar quando estamos iniciando em uma empresa e principalmente na área. Não estou dizendo para fazer perguntas do tipo: “O que faz o ‘CONCATENATE?’ (tente ao menos ler o help F1, ou joga no Google!), mas acredite, é muito melhor pedir ajuda para alguém mais experiente do que esperar o dia da entrega de sua OS e ter o programa pela metade porque você não entendeu como codificar o fieldcat do seu ALV, por exemplo. Se a empresa te contratou como trainee / júnior, ela “sabe que você não sabe” e não espera que você desenvolva um programa super complexo, com milhões de linhas de código que revolucionará o mundo. Questionando, você demonstrará interesse, aprenderá muito mais rápido e principalmente, não sairá quebrando tudo.

Tenha um caderno: Você deve estar pensando: “Que absurdo, sou da área de TI e com toda a tecnologia disponível vou utilizar o velho caderno?”. Sim! Eu, por exemplo, estou alocada em um cliente onde não tenho acesso ao meu e-mail pessoal, não posso utilizar pendrive e tampouco levar o notebook. O “X” daquestão, é ter um caderno onde você escreva as coisas que aprendeu de modo que consiga entendê-las e reproduzí-las novamente, independentemente do cliente em que esteja, da disponibilidade de internet, etc. Se você tiver disposição e tempo para digitar depois, ótimo! Fixará melhor e terá facilidade no momento da busca, mas não se esqueça que nem sempre poderá utilizar estes recursos.

Não tenha medo do DUMP: Antes que você fique com “cara de Dump”, leia-o, tente entendê-lo. O Dump não é um bicho de sete cabeças, se você não fala inglês, joga no Google (olha ele aqui novamente, o Google pode ser um ABAP exemplar!). Não se apavore, é mais simples do que parece.

Faça as coisas com calma: Haverá o dia em que você terá que fazer o trabalho de uma semana em um dia, mas conseguirá fazê-lo, pois seus conhecimentos estarão maduros o suficiente. Por enquanto, não queira dar passos maiores do que as pernas, faça seu trabalho com calma para minimizar a probabilidade de erros. No começo, é comum deixarmos escapar alguns detalhes, seja por falta de conhecimento ou experiência. Desta forma, não adianta pensar: “vou fazer correndo para mostrar eficiência”, pois a pessoa que estimou seu prazo, certamente conhece suas limitações e preferirá que você utilize o tempo que lhe foi dado a ter que fazer re-trabalhos.

Tente entender os processos: Sei o quanto isso pode parecer difícil no começo. Mal entendemos de ABAP, como podemos entender os processos? Não tenha vergonha, pergunte para o funcional, se você entende o que e para que está programando, poderá propor melhorias, evitará re-trabalhos e amadurecerá profissionalmente.

Seja curioso: Está ocioso? Estude programas existentes, entenda as sintaxes, debugue! Entender a solução de uma pessoa mais experiente, com certeza te ajudará a desenvolver a sua solução.

Bom, as dicas acima não foram técnicas e tampouco apresentaram conceitos de ABAP, mas certamente ajudarão aos que estão começando agora / recém formados em ABAP!

Se você tem mais dicas ou experiências como estas, deixe seus comentários!

You may also like...

20 Responses

  1. Gabriel Tognoli says:

    Opa, temos uma nova integrante no ABAP101? Seja bem vinda Claudia Andressa. Se for para agregar o grupo que venha para ficar.

  2. Gabriel Tognoli says:

    De todos os passos, no meu ponto de vista o melhor é “entender os processos”, não há nada que faço sem antes entender o contexto geral, ou seja, esse botão que vou criar será usado para o que? O que vai acontecer depois?

    Acho que entender o processo o torna um “curioso”.
    É isso aí, parabéns!

  3. Fernando (FPC) says:

    Ótimas dicas! Gostaria só de acrescentar a seguinte dica: “Quando tiver que alterar algum programa e você não sabe o ponto exato da alteração, antes de você chamar alguém pra te ajudar, o DEBUG será o seu melhor amigo nessa hora!

  4. Vinicius says:

    Ótimos conselhos, mas acredito que antes de perguntar a alguém mais experiente, realmente tem que tentar fazer, pesquisar.. Eu comecei meu curso fazem apenas 2 semanas.. E estou dormindo apenas 2h por dia, pois trabalho, mas estou sempre pegando algum exercício que não foi desvendado e tentando fazer, quebrando a cabeça e quando consigo fazer por conta própria, percebo que aprendi muito e quando não consigo, levo para o professor quebrar a cabeça junto comigo :))). O que quero dizer é, não vá perguntar para alguém mais experiente, no exato momento que ficou com dúvida, se esforce, gaste os neurônios, suas horas de tempo livre, antes de sair perguntando…

    PS: Achei que era o único que usava um caderno ainda, kkk.. Carrego meu pendrive para todo lugar, com todo o material que possuo de ABAP, mas meu caderno é meu amigo inseparável, tenho vários anotações importantes que uso no dia a dia.. Outro ponto legal, é desenhar antes de fazer, eu não confio muito na minha cabeça, então sempre coloco no meu caderno como estou pensando, em outras palavras, desenho a lógica. Hehehehe.

    Ótimas dicas! Seja bem vinda. 🙂

  5. Claudia Andressa says:

    Obrigada, Gabriel!
    Realmente, quando entende-se o que está fazendo, torna-se um curioso, e com isso, aprende-se cada vez mais!

    Fernando,
    Ótima dica! Debugando, mesmo que demore um pouco, em algum momento a gente encontra o ponto exato.

    Vinícius,
    Meus parabéns! Pode ter certeza que todo seu esforço será recompensado. Quebrando a cabeça a gente aprende e cresce muito!

  6. Marcelo says:

    Sabios conselhos Claudia, com certeza estaremos recorrendo a alguem que entendemos ter conhecimento suficiente para nos ajudar! Parabens pela conquista de entrar na area.

  7. qosmiotech says:

    Excelentes dicas, acho inclusive que é possivel fazer uma analogia para outras áreas. A dica do caderno é fato e ajuda em muito na memorização também, muito mais do que o meio digital, talvez pq no meio digital muitas vezes acabamos disperçando a atenção e a verdade é que aprendemos a ler e escrever utilizando esta ferramenta d:^)

  8. Fernando (FPC) says:

    Acompanho o blog ABAP101 desde quando eu fiz academia ABAP ministrada por Furlan e Silas em 2008. O legal desse blog é que sempre há alguma novidade independente do nível técnico das pessoas. Continuem sempre assim!

  9. Cicero says:

    Parabéns pelas dicas valiosas!

  10. Olá Cláudia!

    Primeiramente, parabéns por ter ingressado como Editora no ABAP101 🙂

    Das suas dicas, a que mais me chamou a atenção foi a “Tenha um caderno”. Eu tenho meu caderno de quando eu era júnior até hoje, e já me peguei pensando “putz, essa coisa X que eu não consigo lembrar NEM A PAU tinha no meu caderno :S” hehehehehe

    Sobre o DUMP, eu tenho uma história engraçada: Quando eu era Júnior, menos de 1 mês de ABAP, eu vi um dos meus primeiros DUMPs “de verdade” (na academia não conta 😛 ). Pedi ajuda para meu líder na época, um cara que estava completamente estressado por conta de milhões de pepinos para resolver com o time internacional do projeto. Ele demorou um pouco, mas depois levantou, foi até a minha mesa, e disse: “VC NÃO TÁ VENDO AQUI QUE O DUMP TEM UM NOME? ENTÃO, VAMOS LER: O TIPO ESTÁ ERRADO, LOGO, O VOCÊ TEM UM TIPO ERRADO NO CÓDIGO. LEIA O DUMP ANTES DE SE DESCABELAR, TCHAU.” Obviamente, eu fiquei MEGA MASTER ASSUSTADO, mas foi um dos melhores ensinamentos que eu pude ter. Eu parei de ficar de mimimi e comecei a ir atrás das coisas por conta própria antes de perguntar. E tenho esse chefe como um dos meus “mentores” até o dia de hoje 🙂

    Ah, e eu pude fazer isso com um Júnior também, é MUITO divertido mwahahahahahaha 😀

    Abraços e parabéns pelo post!

    • Claudia Andressa says:

      Olá, Maurício!
      Muito engraçada a história do DUMP, este tipo de experiência sempre agrega! (Que fique bem claro: agrega conhecimento e faz perder uns fios de cabelo, não é? :p kkkk)

      Mas são situações pelas quais todos os programadores passaram um dia!

      Obrigada por compartilhar sua experiência conosco!

    • Fábio Pagoti says:

      Sensacional esta história Maurício. O dump tem tanta informação importante para achar o erro que não merecia ter uma aparência tão horrível.
      Fiquei com inveja de não ter dito isso com tanto gosto para alguém xD.
      Abraços!
      (PS: adotei um caderno para meu aprendizado de iOS)

  11. Rafael says:

    Parabéns pelo post! Também sou um ABAP iniciante (7 meses apenas, entrei em uma consultoria como júnior) e confesso que no começo fiquei meio receoso, pois venho do mundo WEB e trabalhava com tecnologias totalmente diferentes como Ruby On Rails, PHP 5, MVC (há que saudade!), etc. Porém já percebi que é possível fugir daqueles códigos procedurais malditos e pré históricos, e mandar ver um OO no ABAP como o pessoal aqui do blog discute e incentiva. Valeu!!

    Apesar do pouco tempo com ABAP já dou uma dica: a melhor academia chama-se http://www.google.com e você deve ser um incasável pesquisador!

    • Claudia Andressa says:

      Obrigada Rafael!

      Ótima dica!

      Incentivamos a OO por nos proporcionar capacidade de realizarmos melhores abstrações e construir soluções mais próximas do “mundo real”.

      Boa sorte e sucesso em sua nova carreira!

  12. Sandra Andrade says:

    Para fazer academia ABAP é necessário vivência teória ou prática em programação?

    Estou questionando porque desejo fazer.

    Fiz academia de MM há um ano e meio e até o momento nunca atuei na área. As consultorias querem juniores com experiência. Me respondam como é possível junior com experiência? O jeito é mentir? Será que para ABAP vai acontecer a mesma coisa?

    • Claudia Andressa says:

      Olá Sandra!

      Não é mandatório que você tenha experiência com programação, eu mesma, quando comecei a academia não tinha experiência. Apenas tinha aprendido VB no ensino médio, e que não me recordo de quase nada.
      O importante é que você tenha força de vontade para “correr atrás do prejuízo” e estudar bastante.

      Nunca recomendamos mentir, pois certamente a pessoa que conduzirá o processo seletivo reconhecerá que você está mentindo.

      Um dos modos para adquirir experiência é participando de projetos Open Source, como os do ABAP 101!

      Boa sorte!

  13. Gustavo Oliveira says:

    Olá Cláudia. Muito bom o post, Parabéns!

    Conforme o Rafael comentou, também venho do mundo WEB (.NET C#), confesso que fico meio assustado com o dia-a-dia, pois sou iniciante com ABAP, 3 semanas apenas. Realmente tinha esse medo do DUMP, na academia o instrutor falava como se fosse um monstro. Me identifiquei muito com o que disse no post “é muito melhor pedir ajuda para alguém mais experiente do que esperar o dia da entrega de sua OS e ter o programa pela metade porque você não entendeu como codificar o fieldcat do seu ALV”, realmente, é aí que estou travado.. kkkkkkk

    Sandra, fiz ABAP em Junho/2011 e MM agora em Maio/2012, realmente não é fácil, mas nunca desista.

    É isso aí, valeu!!

    • Claudia Andressa says:

      Olá Gustavo!

      Não tem jeito, todos nós passamos por isso no começo!
      Até percebermos que o DUMP não tem nada de monstro, basta ler e ele te ajudará muito!

      Boa sorte!

  14. Vanessa Morais says:

    Oi Claudia,
    a sua dica “Faça as coisas com calma” é pra mim heheheh, é como você falou, quem passou a atividade, sabe do nosso nível, maaaas, eu acelerada, fico tão preocupada / desesperada em terminar a atividade, achando que estou “fora” do prazo, que as vezes passo por cima de algumas informações importantes, agora estou me dando o tempo certo para assimilar as informações e desacelerando….

    Muito bom!

    Abraços!

    • Fábio Pagoti says:

      Isso acontece também pois tem muito gerente que pede estimativa e cobra como se fosse deadline. É uma das coisas que mais vejo no mundo SAP.