BRFplus: a ferramenta que todo profissional SAP deve conhecer

Dias atrás publicamos o artigo Porque todo ABAP deveria estudar HANA, por Thiago Ourives, que despertou a curiosidade de muitos, principalmente no Facebook e LinkedIn. Para quem não leu o último texto o Thiago trabalha com ABAP há um tempão e é um dos pioneiros a trabalhar com ABAP e HANA no Brasil.

Ele escreveu mais um post, agora relacionado a BRF+ (aka BRF Plus), tópico inédito aqui no blog. Se você nunca ouviu falar no BRF+ e acha que user exit é algo mega atual, reveja seus conceitos lendo este post.

(Por Thiago Ourives)

Antes de explicar o que é o BRFplus, quero falar sobre possíveis soluções para um cenário bem conhecido no mundo SAP: Determinação de IVA.

Existem, dentro do SAP, diversas formas de implementar a determinação do código de imposto e que irão permitir ao cliente chegar ao resultado desejado, eis algumas formas e suas vantagens e desvantagens:

Customizing

É possível criar uma condição do tipo NAVS, relacionando uma série de parâmetros que costumam atender a maioria dos requisitos. É de fácil implementação, mas nem sempre fica transparente ao usuário como funcionam as regras e as telas de manutenção da NAVS não são muito amigáveis.

Exit’s em ABAP

Em ABAP, é possível escrever o conjunto de regras que for preciso! Contudo, a manutenção envolve sempre a presença de um programador… e, dependendo da documentação que foi realizada, exige um certo tempo para que o programador entenda o que o código atual está fazendo antes de começar a alteração, fazendo com que uma simples regra nova demore muito a ser implementada.

Tabelas Z

A vantagem de ter tabelas Z é ter algo desenhado de forma específica para o cliente, de simples manutenção e que pode atender as exceções necessárias. A desvantagem, entretanto, fica por conta do processo de mudança nas regras, que envolve transporte por request em todos os ambientes (DEV, QAS, PRD) bem como sua validação.

BRF+

O BRFplus, que hoje faz parte da licença NetWeaver, consegue juntar o a praticidade de uma condition NAVS, a nível de atenção de um código ABAP e a flexibilidade de uma tabela Z, somando a isso uma interface amigável e sem a necessidade de validação e transporte associado a requests.

Como ele faz isso? É simples! O BRFplus é o motor de regras do SAP NetWeaver. Tem como função servir de repositório, de ferramenta de construção e de motor de execução de todas as regras standard da SAP, e, desde 2010, a SAP tem trabalhado para tornar ele também a ferramenta preferencial para manutenção de regras do cliente.

Nessa ferramenta podemos criar aplicações específicas que fazem uso de Decision Tables, funções com programação visual lógica e amigável, possibilidade de validação e teste na própria ferramenta e facilidade de transporte das regras. Tudo isso sem a necessidade de ABAP, o BRFplus gera todo código ABAP que for necessário.

Além disso, um dos objetivos do BRFplus é que o cliente possa assumir a manutenção das regras, através de uma interface em WebDynpro customizável e de fácil utilização.

Grande abraço a todos!

———

Quer saber mais sobre BRF+?

Visite a página Business Rules Framework Plus na SCN.

Já usou o BRF+?

Já usou o BRF+? Já aplicou as notas que fazem ele funcionar? Já substituiu uma exit monstruosa por regras no BRF+? Conte sua experiência aí em baixo nos comentários.!

Fábio Pagoti

Formado em Sistemas de Informação pela Universidade de São Paulo. Comecei no mundo da programação com Java mas logo caí no mundo ABAP. Estagiei na Nestlé por 2 anos e foi lá onde conheci o Furlan. Depois de efetivado fui morar no Canadá por 1 ano onde pude aprender a área de testes em desenvolvimento de software. Hoje sou consultor e instrutor ABAP, amante de projetos Open Source, Wordpress, Data Mining e da esfera SAP. Siga-me no twitter: @fabiopagoti

You may also like...

4 Responses

  1. Thiago Ourives says:

    Valeu Fábio, obrigado pela divulgação e pelas palavras!!

    Outra dica que esqueci que colocar no texto é o perfil do Carsten no SCN [http://scn.sap.com/people/carsten.ziegler].

    Além de ser P.O. do BRFplus, Carsten é casado com uma brasileira, então dá até pra perguntar em português que é capaz de ele se animar a responder.

    Vale a pena seguir o perfil dele para ficar por dentro das outras novidades da SAP quanto a gerencia de regras e descobrir quando e como o BRFplus vai se integrar totalmente com o HFR.

    Grande abraço!

  2. Fala galera,

    Belo post, Thiago.

    Tenho alguma experiencia com BRF+, o qual tive contato pelo primeira vez no ja longiquo 2010. O cliente usava NW 7.02, e como pode imaginar, notas eram aplicadas quase que semanalmente pra fazer a ferramenta funcionar razoavelmente. Em projetos/clientes mais recentes, ja no ECC6 EHP 6 SP11 e EHP 7 SP8, o BRF+ eh bem estavel, acho que nao precisei aplicar nenhuma nota.

    Esse primeiro projeto foi importante principalmente para comecar a nos familializar com a ferramenta. E para entendermos que boa governanca eh muito importante quando se usa BRF+. Outra coisa importante foi entender que, apesar de termos uma tendencia em contrario, nem tudo se resolve com decision tables. Algumas vezes criar um regra no BRF+ eh um overkill, onde uma tabela Z realmemnte seria uma opcao melhor.

    Outra coisa importante eh definir antes de comecar o desenvolvimento, qual sera o “storage type”, pois isso define se suas regras serao transportaveis ou nao e o relacionamento com outros objetos. Essa opcao nao pode ser mudada posteriormente. No cliente atual temos o seguinde guideline:

    “If changeability in Production is required consider:
    • Can it be better deployed by master data maintenance tables?
    • If BRFplus Expressions are still better >> Emphasize the Transport Limitation to Functional Consultants and Document within the BRFplus”

    Isso significa que o cliente (nem esse nem os anteriores em que trabalhei) nao ve BRF+ como ferramenta para usuario final. E eu concordo com esses clientes. Eu nao acho a interface tao amigavel assim. Afinal, eh um WebDynpro ABAP 🙂 Mas acho muito boa a ferramenta de testes.

    Ainda nao tive o prazer (ou nao) de usar HRF, (alias, nem DSM ainda!!!) mas acho que nao demorara muito, pelo menos o DSM.

    Enfim, parabens de novo pelo post (e pelo anterior tambem).

    Abraco,
    Custodio

    • Thiago Ourives says:

      Fala Custódio, tudo certo?

      Então, estou com um cliente agora (ECC6.0 EHP7) que ainda tive que aplicar algumas notas, acredita?

      Quanto ao transporte, concordo contigo.
      Tanto que o DSM vem justamente fazer esse papel de organizador das regras, tomando conta dos transportes e ativações.. mas aí tem que comprar o pacote todo, né?

      Se for o caso de teu cliente, de repente troca uma idéia com o Carsten que é capaz de ele ir aí visitar e tentar vender o DSM.

      Grande abraço!

    • Thiago Ourives says:

      E muito legal saber tuas experiências!

      Vou ver se monto um protótipo para explicar melhor o HRF também, quanto estiver melhor desenhado compartilho por aqui também.

      Abraço!