Existe vida fora do mundo ABAP! E vida boa!

Se você pensa em trabalhar com ABAP, ou ainda se já é um ABAPer, leia atentamente esse post e comente caso queira manifestar sua opinião.

Li outro dia em um blog uma frase semelhante a esta: “Desenvolvedor é desenvolvedor em qualquer linguagem”. Eu entendo a proposta desta sentença porém discordo e muito. Linguagens são diferentes pois foram criadas em épocas diferentes e com propósitos diferentes. Pode-se dizer que quem conhece Java não tem muitas dificuldades para encarar o C# (ou vice versa), mas não me parece coerente afirmar que um ABAPeiro se sentirá em casa na frente de um C ou que alguém que trabalhe com Python ficará a vontade com ABAP. O mesmo raciocínio vale também para comparar linguagens que são consideradas de mesma geração.

Apesar disso, sou da opinião que um programador não deve achar que a linguagem que ele trabalha é a melhor existente (quando digo melhor, entenda-se: $$$, mais fácil de aprender, mais prática, com melhor documentação, maior flexibilidade, mais aplicável, etc).

Esta é uma crítica que faço a muitos ABAPeiros, que pensam que por codificar em ABAP tornam-se apenas “Consultores SAP” e não mais desenvolvedores de software (como se a última tivesse menos valor). Quem trabalha com ABAP, desenvolve software assim como qualquer outro programador de outra linguagem! Todavida, nós ABAPeiros ou ABAPers somente fazemos software para negócios! Qual o mérito de se desenvolver um report em ABAP ao invés de um site em PHP?

A percepção que tenho é que quem já conhece ABAP tem certeza que sabe o suficiente e/ou que “apenas” aprendendo, Web Dynpro, Adobe Forms, Cristal Reports e o que vem por aí no mundo SAP é suficiente para ser um bom desenvolvedor consultor SAP e manter-se atualizado com as tendências de mercado.

Semelhante (ou talvez até pior) é aquele(a) que trabalha com uma linguagem X e está louco(a) para começar a trabalhar com ABAP, achando que a linguagem X já está defasada no mercado, e que apesar de algumas oportunidades existentes por aí, sobram concorrentes no mercado. Não obstante, ele(a) pensa que ABAP será a salvação da sua carreira, da sua vida profissional, da sua saúde financeira, que há inúmeras empresas realizando monstruosas implantações sempre bem sucedidas de SAP e que a demanda por profissionais é maior que oferta.

Afinal, semana sim e semana também aparece aquela pesquisa feita com 28 profissionais de 1 consultoria que diz que o salário médio de quem trabalha com ABAP é superior tantas vezes a quem trabalha com a linguagem da xícara ou daquela da empresa do Bill. Quando não é a pesquisa, você soube por parte de um alguém que conhece um niguém e que está ganhando muito dinheiro com ABAP também.

Quem está na piscina com ondas do ABAP se mantém e outros tentam mergulhar de cabeça. Enquanto isso, “Garoto de 14 anos desenvolve game para iOS e Android“, “Menino de 9 anos cria aplicação para iPhone“, “Garoto desenvolve tecnologia multi-touch em casa e chama a atenção da Apple” e “Estudante cria ‘YouTube Instant’e recebe proposta de emprego“. Creio que a frase anterior representa bem o que quero dizer aqui. Mas caso ainda não esteja claro quero dizer que enquanto estamos curtindo a nossa piscina de ondas, alguns estão na hidromassagem, com água bem quentinha e ainda sem carteira assinada ou direito a voto.

Por isso, para você ABAPeiro, ou se preferir “Consultor SAP”, ou você que quer embarcar no maravilhoso mundo onde a solução do seu problema está comentada em alemão em algum lugar que você não encontrará, fica a dica: se o objetivo é dinheiro, quanto mais melhor, trabalhar em uma empresa com ABAP e fechar os olhos para o mundo afora é uma excelente oportunidade de se limitar através de algo conhecido como salário.

Para você que realmente está decidido a se aprofundar em ABAP e ser um tão almejado “Consultor ABAP/SAP Sênior”, garanto que estudar outras tecnologias é uma excelente oportunidade de encurtar este caminho. Além de conhecer uma nova tecnologia, é possível aprender soluções/frameworks que atendem problemas que o ABAP também possui, conhecer alguns design patterns,  participar de mais uma comunidade, aumentar seu networking e poder desenvolver algo criativo, ergonômico, útil e não apenas burocrático e que possa te dar frutos não limitados a uma quantia escrita com caneta bic num caderninho que o governo exige de você.

Fora os benefícios que citei, quais as certezas que você possui em relação ao ABAP/SAP? E ao Dynamics (ERP da Microsoft)? Se você tem certeza que a SAP está muito bem obrigado, quais as certezas que você possui sobre as empresas que possuem o ERP e que constroem a demanda do mercado ABAP? Você arriscaria em um futuro estável destas empresas até a sua aposentadoria ou será que somente os setor automobilístico, imobiliário e bancário estão sujeitos a grandes riscos?

Fazendo um paralelo sobre o futuro do ABAP e de tendências atuais, qual seria a sua solução para disponibilizar vídeos de treinamento para um usuário armazenados no YouTube em uma transação? Como faria para integrar o Twitter com o SAC, pessoal de marketing ou vendas da sua empresa e suas ferramentas? Como fazer um relatório que mostre se a página do Facebook da sua empresa está recebendo mais visitas após um anúncio? Você pode até pensar algo como: “Uma empresa não vai querer nada disso!”. Mas agora imagine fazer uma previsão de vendas ou medir a popularidade de um produto se baseando em hashtags, retweets e afins? Por que uma empresa não iria querer informação sobre seus produtos e sua imagem em tempo real? E ainda mais com essas informações integradas com seu sistema?

Por isso, antes de achar que ABAP/SAP é Sol do nosso sistema e que tudo está distante e gira em torno dele, pense se na verdade você não está em uma estrela cadente que vaga pelo universo  e que pode sumir ou se colidir a qualquer momento. Uma visita a uma planeta aparentemente distante pode lhe fazer muito bem.

Fábio Pagoti

Formado em Sistemas de Informação pela Universidade de São Paulo. Comecei no mundo da programação com Java mas logo caí no mundo ABAP. Estagiei na Nestlé por 2 anos e foi lá onde conheci o Furlan. Depois de efetivado fui morar no Canadá por 1 ano onde pude aprender a área de testes em desenvolvimento de software. Hoje sou consultor e instrutor ABAP, amante de projetos Open Source, Wordpress, Data Mining e da esfera SAP. Siga-me no twitter: @fabiopagoti

You may also like...

10 Responses

  1. Haroldo Doratiotto says:

    Olá Fábio. Gostei do seu post.
    Fui aluno do Flávio, na Ka Solution.
    Atualmente trabalho com ABAP, mas muita coisa que preciso fazer na empresa, ainda uso o VFP 9.0. Alem disso, desenvolvemos soluções em Java e PHP.
    Particularmente acho maravilhoso comparar linguagens. Um comando em ABAP as vezes é igual em uma outra linguagem, mas a maneira de usar é diferente.
    Acho que a maioria dos que reclamam de uma determinada linguagem , ou é porque não a conhece ou porque ouviu alguem dizer.

    Abraços…

    • Fábio Pagoti says:

      Olá Haroldo! Obrigado pela participação expondo sua opinião.

      Concordo muito com o que disse, tanto é que existem linguagens, como o Pascal, que foram criadas com o propósito de instruir programadores novatos a como fazer um trabalho bem feito. Quem iniciou a carreira já no ABAP e não se interessa por linguagens de programação em si tem até falta de argumentos para destacar as vantagens do ABAP. Sem dúvida ficar centrado sempre no mesmo lugar, não importando este qual seja, não é uma atitude interessante de se fazer ao médio e longo prazo.

      Abraços! Bom final de semana.

  2. Douglas says:

    Amigo, sou consultor de uma empresa a 11 anos, sempre como abap, estive muito acomodado, agora estou em busca de novos horizontes, o que o mercado procura, quais treinamentos você me indica ? Antecipadamente, valeu pelo help e parabens pela matéria, me motivou a tomar esta decisão de tirar a bunda da cadeira e me atualizar !!

    • Fábio Pagoti says:

      Olá Douglas! Obrigado pelo comentário. Fico feliz em saber que você percebeu o ganho de sair um pouco do nosso mundo diário.

      Eu um tempo atrás estava com idéia de criar um site bem web 2.0 que fazia X. Para isso, vi que a melhor ferramenta para se construir o que queria era o Silverlight. Não cheguei a terminar o que queria, não cheguei a me tornar o mestre em Silverlight. Mas mesmo essa pouca experiência me ajudou: usei bastante MVC, aprendi um pouco sobre hospedagem e outras coisas mais.
      Certa vez estava curioso para ver como era criar uma aplicação em Android, após ouvir uma palestra da Motorola… baixei a IDE e brinquei um pouquinho. Não acho que tenho conhecimento sucifiente nisso para colocar no meu CV, mas eu descobri o que queria, e isso me ajudou.

      Claro que é importante saber trabalhar com o que o mercado precisa, para não gastarmos tempo e dinheiro em vão. Mas ao mesmo tempo, o mercado tem várias necessidades, e você pode atendê-las trabalhando com ABAP, Web Dynpro, Silverlight, aplicativos mobile, etc etc e etc. Sugiro fazer algo que você tenha curiosidade (como foi minha experiência com Android) e/ou que goste do assunto (como aconteceu comigo aprendendo um pouco sobre Silverlight). Este “sair do seu mundo” não significa necessariamente que você irá dar outro foco na sua carreira, que vá sair do universo SAP ou que deverá arrumar um emprego no que está aprendendo.

      Resumindo: pergunte-se o que você quer aprender e depois corra atrás.

      Grande abraço!

      • furlan says:

        Por incrível que pareça, responder a pergunta “o que eu quero?” é muito difícil. Poucas pessoas tem essa resposta na ponta da língua.

        O mais importante é você se fazer essa pergunta todos os dias, e não vale responder “aquilo que dá mais dinheiro”, mas tenha em mente que o mais importante é fazer aquilo que você gosta e o dinheiro virá como consequência.

        Abraços!

  3. fernando says:

    Compilei seu fonte (texto), rodou bem !! Mas vamos combinar, você já ouviu falar em Orientação ao Objeto. Muito prolixo, parece aqueles livros técnicos que os autores ficam páginas e páginas para explicar que 2+2=4.

  4. Paulo Sales says:

    Excelente post!
    Eu também estive acomodado certo tempo, agora quero expandir meus horizontes e essa postagem do blog reforçou a ideia.
    Abs.

  5. Ótimo Post Fabio.
    Comecei como abap , e depois percebi que não era só aquilo que eu queria, então resolvi trabalhar com java e voltei a 1 ano para abap. Vou te falar, foi a melhor coisa que fiz, realmente e muito bom visitar outros planetas, pois minha visão hoje e totalmente dos meus colegas atual, e sei que em um futuro (IU5 HANA) muito próximo isso ira facilitar a minha vida.

    Abraço,
    Rodrigo Anjos

  1. December 31, 2011

    […] Existe vida fora do mundo ABAP! E vida boa! […]

  2. January 9, 2014

    […] de software etc. Ainda mais, ABAP não é sua primeira linguagem e isso te ajuda a ver que Existe vida fora do mundo ABAP, o que é ótimo. Não ache que você não tenha demanda por ainda não estar preparada para […]