Categoria: Mercado

Tipos de Consultores ABAP

Tipos de Consultores ABAP

Essa semana recebi uma dúvida de um ex-aluno sobre tipos de Consultores ABAP. O meu companheiro de docência, Vagner Silas enviou uma resposta que achei muito boa e a transcrevo para cá: Cara… esse lance de tipos de abapers é um pouco confuso. Eu diria que existem especialidades diferentes. Alguns exemplos: CCS – Customer Care Service – abapeiro que trabalha em utilities, que tem alguns módulos diferentes como WM (Work Management), FICA (Financial – Contract Account), EDM (Energy Data Management) e outros. Eu sou um Abaper CCS. Já trabalhei com Energy (TXU Texas e Comgas) Webdynpro – abapeiro que trabalha...

Trabalhe com um propósito

Trabalhe com um propósito

Como instrutor e blogueiro, frequentemente recebo e-mails de pessoas pedindo conselhos do que fazer com suas vidas profissionais. Eu entendo perfeitamente suas dúvidas e angústias. Aposto que a imagem que muitos de vocês devem ter de mim é que sou um profissional resolvido e decidido com minha vida profissional. Pensa: estou á quase 10 anos no mundo SAP. Já trabalhei em muitas implementações, enfrentei inúmeros bugs e coisas esquisitas. Já programei, especifiquei, discuti arquitetura, solução funcional e até dei já pitacos em instalação de servidor. Já trabalhei com CMM, qualidade e avaliação de ferramentas. Já coordenei, planejei e até bronca...

Ousadia ou Estupidês?

Ousadia ou Estupidês?

Essa semana participei de um workshop de negocionação onde tivemos oportunidade de fazer alguns exercícios. Foi interessante ver algúns conceitos sendo aplicados. O mais interessante foi negociar em inglês. Para muitas pessoas negociar já é uma aventura, agora em outro idioma, pode ser uma tarefa homérica. No entanto, o ponto aqui não é exatamente o ato de negociar, mas quero descrever uma determinada situação que aconteceu num desses exercícios.

Aprenda do Negócio

Aprenda do Negócio

Um conselho que sempre passo para meus alunos e qualquer outra pessoa que está começando no mundo de desenvolvimento de software empresarial é: aprenda sobre o processo e o negócio que você está trabalhando. Desenvolvemos software para gestão empresarial. Eu já expliquei aqui e aqui o que faz um ERP. Ou seja, o tipo de software que fazemos, ajuda a rodar as operações das empresas o que por si só não é nada trivial.

Temos muito que aprender com a Comunidade Ruby e Rails

Temos muito que aprender com a Comunidade Ruby e Rails

Como vocês sabem, apesar desse site se chamar ABAP 101, trato de outros assuntos como Rails e programação em geral. Faz uns 10 anos que trabalho com SAP. Considero que tenho uma certa experiência na tecnologia, mas essa experiência me ensinou que, quanto mais trabalho com SAP, mais sei o quanto eu não sei dessa tecnologia. Hoje eu admiro muito a tecnologia, a plataforma e principalmente a linguagem, o ABAP. Programar em ABAP me dá muito prazer e satisfação. Então por que estudar outras tecnologias como Rails?

Ufa! Achei que 2008 não iria acabar nunca!

Ufa! Achei que 2008 não iria acabar nunca!

Esse ano de 2008 foi o ano mais cansativo que já tive! Trabalho de coordenação ABAP, aulas na KA Solution, ABAP101, Ruby on Rails, segundo filho, XI e outras coisa menores. Foi realmente um ano puxado para mim. Poderia ter sido mais tranquilo? Claro! Poderia ter visto vários filmes, seriados, novelas, BBB, Orkut, dormido mais etc., mas não consigo ficar parado! Se eu tivesse ficado traquilo não teria aprendido Rails, CSS, conceitos de padrões web e programação Ruby. Se eu tivesse ficado parado não teria aprendido XI (ou PI). Não teria tido meu segundo filho (entenda em não ficar parado...

Como entrar no mercado de ABAP

Como entrar no mercado de ABAP

Praticamente 100% dos meus alunos de ABAP e muitas pessoas que entram em contato comigo pelo ABAP101, fazem essa pergunta, como entrar no mercado de ABAP? Hoje recebi essa pergunta novamente. Ainda não havia escrito nada sobre isso porque não tenho uma resposta satisfatória para essa pergunta. Eu poderia dizer várias coisas no estilo Você S/A, como “você precisa ser um profissional antenado com as novas tendências tecnológicas e de responsabilidade social, para alavancar a sua carreira num mercado altamente golbalizado blá blá blá”, mas eu odeio isso! Mas eu vou me arriscar com alguns comentários.

Porque TI é um custo e não investimento

Porque TI é um custo e não investimento

Surgiu a seguinte questão em sala de aula, em uma das minhas turmas de ABAP, sobre por que algumas empresas consideram TI como um custo e não como um investimento em área estratégica. Alguns alunos ficaram indignados quando eu afirmei que a TI é vista com um mal necessário para as empresas, que se pudessem não teriam nem computador. Não é nenhuma forma de luddismo, mas um fato facilmente observado. Nesse meu post eu mostrei o esquema para qualquer tipo de empresa capitalista: O lucro da empresa é calculado pela diferença entre a receita da venda dos produtos e recursos...

Você tem medo de ensinar? (parte 2)

Você tem medo de ensinar? (parte 2)

No meu post Você tem medo de ensinar, eu critiquei o comportamento que algumas pessoas têm com relação a ensinar. De acordo com elas, se elas ensinarem o que sabem, vão perder seus empregos ou terem seus salários diminuídos. Eu estou há um ano ministrando treinamentos de ABAP e já formamos muitas pessoas que, na sua maioria, já estão atuando no mercado. Foram 8 turmas onde pude solidificar os meus conhecimentos e com isso aplicá-los melhor no meu trabalho. Quero dizer que o meu conhecimento de ABAP e do ambiente SAP só tem crescido, pois ensinar é a melhor forma...

Você tem medo de ensinar?

Você tem medo de ensinar?

Trabalho com projetos SAP, especificamente ABAP, há cerca de 7 anos. Uma prática muito comum é a figura do “sombra”. O sombra é aquele consultor júnior (geramente no seu primeiro projeto), que é alocado a um projeto, sem cobrar as suas horas do cliente. Com isso, a sua consultoria consegue treinar um novo consultor em situações reais da rotina de um projeto.Isso pode ser ótimo para o sombra, pois esse treinamento on-the-job é uma maneira de dar a ele alguma experiência sem a responsabilidade de um consultor cobrado do cliente. No entanto, para o consultor experiênte, isso representa um aumento...